• PERFURAÇÃO DE POÇOS
    ATÉ 500 METROS
    DE PROFUNDIDADE
    ...da perfuração
    ao acabamento
  • ÁGUA, VIDA E SAÚDE
    Especialista em perfuração, manutenção e regularização de poços artesianos.

A Empresa

A AVS Poços Artesianos é uma empresa que surgiu no mercado no ano de 2010 na cidade de Campinas-SP. Com foco num mercado em constante expansão, acompanha as necessidades do cliente investindo em tecnologia e capacitação profissional. Agindo de forma idônea, a empresa preza pela transparência em todas as suas etapas. Equipamentos modernos e profissionais qualificados prontos para atender você ou sua empresa. Conte conosco!

Especialidades

Especialista em Perfuração e Manutenção de Poços Artesianos, a AVS oferece atendimento em toda a cadeia que envolve essas atividades: projeto, licenciamento, outorga, e recuperação de poços desativados. Todos os trabalhos são acompanhados por nossa equipe multidisciplinar, formada por de Geólogos, Engenheiros Civis e Ambientais.

A AVS atua também no tratamento e Controle de Qualidade da Água, com Técnicos em Saneamento qualificados junto as melhores instituições de ensino do país, e habilitados junto ao CRQ (Conselho Regional de Química).

Certificações:

Perfuração de Poços

Poço Artesiano é uma construção que viabiliza o acesso às águas profundas de nosso subsolo. Substitui a água proveniente do abastecimento público, gerando economia e muitas vezes rentabilidade.

Pode-se ser usado para residências e indústrias, seja no lazer, higiene, consumo, irrigação ou processos produtivos. Perfurar Poços Artesianos é um trabalho complexo de engenharia. Para isso, a AVS mantém um quadro técnico altamente especializado e responsável, atingindo com êxito e segurança os projetos que realiza.

Com equipamentos modernos, trabalha para garantir agilidade e qualidade durante a execução dos poços. Executa perfurações de poços artesianos em formação cristalina, sedimentar e misto. Entenda mais abaixo sobre a diferença de cada tipo de formação.

Para maiores informações: ABAS – Associação Brasileira de Águas Subterrâneas

Poço Cristalino

Os projetos de execução de poços artesianos, na formação Cristalina, prevê a construção do poço com a utilização de revestimento somente na parte de solo ou rocha não consolidada.

As rochas cristalinas, por terem porosidade e permeabilidade quase nulas, proporcionam à água uma fluidez descontinuada, através de fraturas e fissuras geológicas. São rochas de natureza ígnea, metamórfica e com sedimentos muito duros como os arenitos muito litificados e calcários. Todas estas rochas permitem que as paredes do poço se sustentem direcionando a água diretamente para o interior do poço.

Poço Sedimentar

Os projetos de execução de poços artesianos, na formação Sedimentar, caracterizam-se por perfurações em solo de baixa coesão com espaços intergranulares, conferindo assim a característica de permeabilidade.

Esta característica faz com que a água neste tipo de poço seja transmitida através da intercomunicação entre os espaços vazios formados ao longo da formação geológica. Os poços construídos nestes locais devem possuir um revestimento adequado, com tubos lisos e filtros, que evitam a transmissão de fragmentos e sedimentos para dentro do poço. A ausência deste revestimento específico, representa um risco à estrutura do poço, com risco de desmoronamento e de assoreamento.

Poço Misto

Os projetos de execução de poços artesianos, na formação Mista, são construções onde parte da perfuração é feita em formação sedimentar e, parte em formação cristalina.

Na região produtora de água, sob domínio de formação sedimentar, recomenda-se a utilização de filtros e revestimentos que assegurem o acesso da água ao interior do poço, impedindo a passagem de materiais particulados que possam prejudicar a qualidade da água. Por outro lado, na região de formação cristalina, não é necessário o uso de revestimento, tendo em vista que a própria rocha sã garante a estrutura do poço.

Perfuração em espaço reduzido

Visando atender clientes que não disponham de espaço suficiente para a operação de perfuratrizes de grande porte, a AVS Poços Artesianos desenvolveu uma máquina perfuratriz própria, acoplada a um trator.

Essa máquina perfuratriz para espaços reduzidos tem capacidade para perfurar até 400 metros de profundidade, e sua operação, juntamente com o canteiro de obras, podem ser adequados de acordo com as necessidades do cliente.

Manutenção de Poços

Preventiva

Nesta manutenção executa-se um processo de limpeza com aplicação de produtos químicos, fluídos desincrustantes, soluções cloradas e injeção de ar sob alta pressão, visando retirar os resíduos depositados no interior do poço, como pedra, areia entre outros.

Dessa maneira, é realizada a assepsia completa do poço, desinfetando-o e removendo até as partículas mais finas. Durante o processo de limpeza, é feita uma análise da tubulação edutora, do conjunto moto-bomba, dos cabos elétricos e do quadro de comando. Caso seja constatada a necessidade de reparos ou trocas de materiais o cliente é informado. Terminada toda a revisão e reinstalados os equipamentos do poço, deverá ser coletada uma amostra de água para ser enviada para análise, de modo a comprovar sua qualidade.

Aconselha-se que seja realizada uma manutenção preventiva a cada 12 meses evitando assim gastos inesperados e problemas no seu abastecimento.

É comprovadamente mais barato realizar uma manutenção preventiva do que uma corretiva.

Corretiva

A manutenção corretiva visa corrigir, restaurar ou recuperar a capacidade produtiva de um poço artesiano.Tendo em vista que o poço parado compromete o abastecimento, a manutenção corretiva é a primeira atitude tomada para que esta produção volte à normalidade. A manutenção corretiva é uma técnica utilizada quando não são realizadas Manutenções Preventivas, e por isso este método se torna mais oneroso.

Geralmente nestes casos encontramos equipamentos danificados, instalações prejudicadase baixa qualidade da água, o que acaba por diminuir a vida útil de um poço, além de serem necessárias paradas para manutenção em momentos aleatórios, e muitas vezes, inoportunos. Manutenção corretiva é aquela de atendimento imediato.

Os poços que não tem uma manutenção programada e bem administrada convivem com problemas. Por isso, é preciso organizar bem os períodos de manutenção preventiva, pois nunca se sabe quando o poço pode apresentar problemas, garantindo assim produção, qualidade e vida útil.

Tamponamento

O tamponamento é um processo definitivo e irreversível de desativação de um poço. A técnica a ser empregada varia de acordo com o tipo de poço a ser fechado. O procedimento de tamponamento consiste na recomposição geológica do local onde existia o poço, através de materiais especificados pelo DAEE. Deste modo, o poço é completamente ‘soterrado’ e fechado, sendo este processo comunicado ao DAEE através de um relatório técnico. É indicado para poços que não serão mais utilizados ou que seu uso pode trazer riscos.

Lacração Temporária

A lacração temporária consiste na desativação do poço e desinstalação de todos os seus equipamentos, enquanto não houver interesse de uso. A lacração temporária pode ser mantida por até 03 anos. Findo esse período, o poço deve ser reativado ou Tamponado, conforme o caso.

Regularização de Poços

A responsabilidade por fazer a gestão dos recursos hídricos do Estado de São Paulo, é do DAEE – Departamento de Águas e Energia Elétrica. Ele é o gestor da Política Estadual de Recursos Hídricos (PERH), e coordena o Sistema Integrado de Recursos Hídricos (SIRGH), nos termos da Lei 7.663/91.

O Decreto Estadual nº. 41.258, de 31 de Outubro de 1996 que regulamenta a lei nº. 7.663/1991, estabelece Normas e Orientações da Política Estadual de Recursos Hídricos, para captação e uso das águas subterrâneas através de poços tubulares.

Deste modo, para a completa regularização de um poço tubular profundo, deverão ser realizados procedimentos burocráticos, estudos, adequações físicas e, caso o poço seja utilizado como fonte alternativa de abastecimento para consumo humano, deverá ser adotado o controle de qualidade da água junto a Vigilância Sanitária.

Licença de Perfuração

Para perfurar um poço artesiano é necessário obter a licença de perfuração, que consiste em uma Outorga de Execução e de Estudos de Viabilidade de Implantação (EVI).

Nesta etapa, com a assinatura de um técnico habilitado, são necessárias análises e descrição da estrutura geológica regional com detalhamento da litologia, determinando os aquíferos previstos para exploração.

A partir disso, imprescindivelmente, é necessário obter uma avaliação do DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica) sobre a viabilidade do projeto apresentado.

Vale lembrar: Para quem já tem poço artesiano e este não está regularizado é preciso outorgar o mesmo, ou seja, regularizar o poço perante aos órgãos responsáveis.

Outorga de Uso

Após a aprovação do DAEE, executa-se o projeto e, então, solicita-se a autorização de uso do poço(Outorga de Direito de Uso de Recursos Hídricos Subterrâneos).

Esta é uma das exigências estabelecidas pela Política Nacional de Recursos Hídricos conforme a Lei Federal nº 9.433/97. Atendido esse procedimento, o Estado concede ao cliente o direito de uso e exploração de recurso hídrico subterrâneo, estipulando o volume a ser extraído e uma série de obrigações que o usuário deverá seguir.

Solicitar a Outorga ao Poder Público tem como finalidade conceber os direitos de acesso e uso aos recursos hídricos de forma sustentável.

Para maiores informações: DAEE - Departamento de Águas e Energia Elétrica

Dispensa de Outorga

Os usuários que em seus empreendimentos fizerem utilização de recursos hídricos considerados insignificantes e, deste modo não sujeitos a Outorga de Direito de Uso, ficam obrigados a requerer ao DAEE a dispensa de outorga e o cadastramento do poço. Após avaliação dos dados declarados pelo usuário, o DAEE emitirá manifestação sobre a dispensa solicitada.

Parecer Técnico Ambiental

Quando o local pretendido para execução da obra estiver em área de potencial contaminção ou em área já declarada contaminada, deve-se obrigatoriamente solicitar junto a Companhia Ambiental Do Estado De São Paulo – CETESB o Parecer Técnico para que esta se manifeste quanto ao uso do local.

Após emissão, esse parecer é apresentado ao DAEE junto com os demais documentos de regularização, para que assim possa ser emitida a Licença de Perfuração ou a Outorga de Uso

Para maiores informações: Licenciamento Ambiental

Controle de Qualidade da Água

Para que o usuário de um poço tubular profundo possa utilizar a água extraída para fins sanitários, o mesmo deve realizar o controle de qualidade da água a ser utilizada. Esse controle está previsto na Resolução SS 65, de 12 de abril de 2005, que estabelece os procedimentos e responsabilidades relativos ao controle e Vigilância da Qualidade da Água para consumo humano no Estado de São Paulo.

Deste modo, deve ser feito o cadastro do poço na Vigilância Sanitária, atendendo as normas estabelecidas pela legislação. Fica previsto assim o processo de desinfecção da água, além da coleta e análise da água de pontos de consumo, para controle da qualidade da mesma, devendo atender aos parâmetros estabelecidos pela Portaria do Ministério da Saúde 2.914 de 2011.

Para maiores informações: Ministério da Saúde

Cadastro na Vigilância Sanitária

Cabe ao responsável pela operação de sistema e/ou solução alternativa de abastecimento de água apresentar a autoridade sanitária municipal de sua localidade, os seguintes documentos:

  1. Anualmente, até o dia 20 de março, o cadastro atualizado
  2. Anualmente, até o dia 20 de janeiro, o plano de amostragem do ano corrente, da saída do tratamento e da rede de distribuição/ pontos de consumo
  3. Mensalmente, até o dia 20 de cada mês, o Laudo Analítico comprovoando a potabilidade da água, da saída do tratamento e da rede de distribuição/pontos de consumo, referente ao mês anterior

Acompanhamento Laboratorial

O laudo analítico que comprova da potabilidade da água deve ser emitido mensalmente. Para tal, há um procedimento específico desde a coleta e transporte da água, que deve ser feito por profissional registrado junto ao CRQ e devidamente treiando para tal, até a análise da água em si.

O laboratorio que irá fazer a análise deve ser certificado pela INMETRO e credenciado pelo ISO/IEC 17.025, para que assim atenda a legislação específica e o laudo seja considerado válido pelo DAEE e pela Vigilância Sanitária.

Para maiores informações: SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE

Serviços


Produtos

  • Bombas submersíveis
  • Quadro de comando automatizado.
  • Cabeamento
  • Tubulação
  • Conexões hidráulicas
  • Filtros para tratamento de água
  • Filtro dosador de hipoclorito (cloro) para consumo humano

Projetos

Conheça alguns de nossos trabahos

Especialista em Perfuração e Manutenção de Poços Artesianos, a AVS oferece atendimento em toda a cadeia que envolve essas atividades. Projeto, Licenciamento, Outorga, Recuperação de poços. Tudo acompanhando por nossa equipe de Geólogos e Engenheiros Ambientais.


Formulário de contato

Formulário de Contato

Deixe Sua Mensagem

Entre em contato com nossa equipe de atendimento para saber o que é nescessário para construir seu poço artesiano.


Formas de contato


Horário de Funcionamento

  • Segunda - Sexta - 07h00 às 17h00